terça-feira, 26 de maio de 2009

Syd Barrett - The Madcap Laughs (1970)


Originalmente era o vocalista, guitarrista e principal compositor da banda Pink Floyd. À medida que a popularidade dos Floyd aumentava, e assim o consumo de drogas psicotrópicas. Cada vez mais ausente tendo essa ausência e o seu estranho comportamento começado a causar problemas ao grupo, passados apenas dois anos da formação dos Pink Floyd, Barrett abandonou o grupo. E mas que depressa tornou-se óbvio que Syd nunca mais voltaria. Seu primeiro álbum solo apresenta fortes indícios do frágil estado de espiríto de Syd, com faixas como “Dark globe” a mostrarem claramente que, apesar de ele ter bom material para trabalhar, era praticamente incapaz de participar em algumas sessões. Gravou um segundo álbum onde ha um maior esforço em conseguir um acabamento mais polido e não chega no a gravar um terceiro. Syd passou muitos dos anos seguintes a pintar, e as poucas telas que ele deu ou vendeu são hoje muito valiosas. E Faleceu no dia 7 de Julho de 2006, em Cambridge, aos 60 anos de idade.

Lista de Músicas:


1 - Terrapin
2 - No Good Trying
3 - Love You
4 - No Man's Land
5 - Dark Globe
6 - Here I Go
7 - Octopus
8 - Golden Hair
9 - Long Gone
10 - She Took A Long Cold Look
11 - Feel
12 - If It's In You
13 - Late Night

Download

senha/password: rockpolar

12 comentários:

fábio bocanegra. disse...

danilo, com todo respeito que tenho por você, colega aqui no RockPolar.

E pelos discos que já postou.

Mas não me calarei, a primeira frase deste texto é horrível. O resto do texto também. Não tenho o que elogiar, além do próprio disco assim.

Me desculpe, mas faço esta crítica como forma de talvez mudar tua opinião sobre o assunto, mas não é obrigação tua, então posso falar por nada.

De qualquer forma, Syd nunca foi louco. Aliás, chego a duvidar que existe 'loucura'. Deveria ser alguns tratados de Antonin Artaud, especialmente o 'Van Gogh: o suicida da sociedade.

Ou então que troquem o significado de louco, e o passem para seu sentido real: o de quem não se adequa a sociedade. O famoso marginal. (E 'doente mental' é pejorativo e de muuuito mal gosto.

Claro, vai me dizer que Syd era atestado como 'esquizofrênico', e portanto que estaria sendo grosseiro seria eu com as pessoas que teriam tal doença. Mas vamos aos fatos, até hoje a cartilha de doenças 'mentais' até hoje jamais conseguiu determinar o que é a esquizofrenia, e entre suas tantas denominações (que mudaram conforme os anos) já foi dito até que um homem que não queria transar (opção assexual) era esquizofrênico. Isso é balela, e no mínimo ridículo.

Sim, novamente você pode me contestar dizendo que hoje em dia não há esse equivoco. Pois você se engana, atualmente milhares de pessoas são atestadas como esquizofrênicas apenas para trancafiá-las em clínicas e sanatórios. A luta anti-manicomial é mais do que necessária, é humana!

Vou parar por aqui, já ficou longo demais. Fica dado o aviso. E se quer minha opinião sobre o que então Syd teria... eu acredito que ele deixava q dissessem q ele era louco apenas para gozar de certos 'privilégios', como andar nu nas ruas sem incomodo, como vizinhos depois contaram. Posso estar errado, e ele ter entrado em outro nível de consciencia - naturalmente ou por meio de enteógenos - mas que não é 'loucura'. 'Louco é quem me diz e não é feliz' - salve Arnaldo.

fábio bocanegra. disse...

Passagens de Artaud, caso não ache o livro:

“Eu mesmo passei nove anos num asilo de alienados e nunca sofri da obsessão do suicídio, mas sei que, a cada conversa que tinha com um psiquiatra, de manhã, na hora da consulta, sentia vontade de me enforcar por ver que não podia estrangulá-lo.”


“... uma sociedade deteriorada inventou a psiquiatria para se defender das indagações de certas mentes superiores, cuja capacidade de adivinhar a incomodava. Gérard de Nerval não era louco, porém disso foi acusado com o propósito de lançar ao descrédito certas revelações capitais que estava prestes a fazer...”


“...o que é um autêntico alienado? É um homem que preferiu tornar-se louco, no sentido em que isto é socialmente entendido, a conspurcar uma certa idéia superior da honra humana. Foi assim que a sociedade estrangulou em seus asilos todos aqueles dos quais ela quis se livrar ou se proteger, por terem recusado a se tornar cúmplices dela em algumas grandes safadezas.Porque um alienado é também um homem que a sociedade se negou a ouvir e quis impedi-lo de dizer insuportáveis verdades.Mas, neste caso, a internação não é a única arma, e a união concertada de homens tem outros meios para vencer as vontades que ela deseja quebrar. Fora das pequenas bruxarias das feiticeiras de província, há os grandes passes de enfeitiçamentos globais dos quais toda consciência vigilante participa periodicamente."

fábio bocanegra. disse...

E sobre Syd, mais especificamente.


Tem também uma coletânea de 2001 chamada Wouldn't You Miss Me, a gravação em disco do Olympia Exhibition Hall, uma compilações de gravações chamada em disco de Magnesium Proverbs...

além dos dois mais conhecidos. Este, o Madcap. e o outro Barrett 1971;

Vou upar todas estes, se quiserem.

E novamente desculpa, mas esse assunto me deixa levemente 'puto'.

fábio bocanegra. disse...

E só pra terminar (juro!)


Sobre dark globe, fui até ler a letra e tradução antes de vim falar qualquer coisa.

Mas eu faço algo tão angustiante, depressivo, talvez suicida como essa música mesmo sem ser '1ouco'.

Ou eu sou? ;P

Danilo disse...

bem não li o comentário inteiro mas pelo o que entendi tu ficou puto pelo fato de falar que ele era "louco" bem minha intenção não poderia ser em dizer que um suposto louco para a sociedade um drogado, esquizofrenico, enfim...

como uma pessoa dessa teria a capacidade de fazer um som como Syd fazia ou por ele era realmente tdo isso e msmo assim o fez?

no mas naum convivi com ele nem o acompanhei escrevi o que sabia sobre o msmo!

peço que todos façam como tu fez apontem meus erros e dem sua opnião!

fábio bocanegra. disse...

ERROS:

"Deveria ser alguns tratados de Antonin Artaud,"

deveria LER. ....

"e portanto que estaria sendo grosseiro "

QUEM estaria sendo....

"até hoje a cartilha de doenças 'mentais' até hoje jamais conseguiu"

tira um 'até hoje', hahahahah.

fábio bocanegra. disse...

e danilo.


agora tenho que te chamar de ignorante. ao ignorar meu comentário todo, e principalmente ignorar o que de boa vontade estou tentando te fazer ver.

eu também não convivi com ele, mas sei do mónologo da razão sobre a loucura, e conheço razoavelmente bem a biografia do mesmo para tirar tais conclusões.

fábio bocanegra. disse...

Mas tá. Não quero discutir mais. Se quiserem podem deletar estes comentários...

Apenas me 'ofendi' pelo Barrett.. oq é besteira.. desculpem.

Danilo disse...

naum pelo contrario legal vc dar a sua opnião!
ainda mais quando vc sabe do que esta falando!
talvez minha intenção fosse realmente está arrancar isso das pessoas ao menos vc expoe sua opnião, pq se vc fazer uma pesquisa sobre Barrett ou até outro ira com facilidade encontrar isso!
geralmente um músico dependendo do seu estilo tanto músical, como age em sociedade, o maneira de viver, enfim...
é considerado um viciado em drogas, um louco, dificil é dizer quem está certo ja qua a sociedade é criada para ver as coisas dessa maneira, para muitos alguem que ouve determindo estilo de música é um drogado um maloqueiro... enfim!
sei la da outra vez eu escrevo as maravilhas e não como ele é visto por muitos!

fábio bocanegra. disse...

Claro, concordo contigo.

Eu exagerei. Mas é que além de duvidar da psiquiatria, e duvidar dos termo 'loucura'. Eu estava a ler sobre Ewan Cameron, psiquiatra canadense que patricou eletrochoque como lavagem cerebral e etc, e como ele pretendia curar doenças mentais, 'apagando' elas da mente das pessoas.

Meu, isso é horrível. Um passado que a psiquiatria atual prefere esconder mas que continua o mesmo hoje. Em vez de choques eles te controlam poe remedios a base de metais pesados. Credo. Bom, fica os toques.

E viva Syd, louco ou não!

Danilo disse...

É como no Clockwork Orange

;D

níccus disse...

"loucuras alhieias nao nos ensinam a sermos sensatos" já diria um frances barrigudinho muito foda.
o syd tinha seus motivos para ser loucos e seus motivos para ser genio, só faltava aquela linhazinha divisoria (loucura-genialidade)que se apagou e o fábio esta tentando descobrir onde HAHAHA
é compreensivel mano
aliás, bela explanação